29 novembro 2009

A Morte de Viriato


«Audaz, Ditalco e Mimurco, da cidade do Urso, vendo que o grande prestigio de Viriato estava sendo afectado pelos Romanos, temeram por si mesmos e decidiram prestar aos Romanos um favor mediante o qual pudessem obter a sua própria segurança [...]. Sabendo que Viriato estava ansioso por acabar com a guerra, prometeram-lhe que convenceriam Cipião a firmar um acordo de paz se os enviasse como embaixadores para negociar o fim da luta.

Como o chefe o consentisse de muito bom grado, apresentaram-se ante Cipião facilmente o persuadiram que lhes concedesse garantias de segurança mediante promessa de que assassinariam Viriato. Uma vez que deram e receberam por outro lado garantias sobre o tratado, regressaram prontamente ao acampamento; depois de anunciar que tinham convencido os Romanos no referente á paz, deram a Viriato enormes esperanças ao tanto se empenharam em afastar o mais possível da sua mente o seu verdadeiro propósito. Acreditados por ele mercê da amizade, depois de entrarem durante a noite ocultamente na sua tenda e matarem Viriato com golpes certeiros de espada, escaparam rapidamente do acampamento e, valendo-se de caminhos intransitáveis pela montanha, chegam salvos ao encontro de Cipião.»

Imagem: Morte de Viriato, Quadro de José Madrago y Agudo
In: Biblioteca Histórica, XXXIII, 21 de Diodora a Siculo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Mas Audaz,Ditalco e Minuro não tinham sidos mortos como traidoter.